18 de abril de 2011

Tirando de mim e deixando no limbo.




Tem sempre aquele dia que você acorda de bom humor, de bunda pra lua, de cabelos bonitos, de pele cuidada e com a cama arrumada. Acorda com vontade de arrumar o guarda-roupa, de doar o que já não é mais de seu uso; acorda com vontade de ter tudo novo, novinho.
Acordei assim, e já tem dias que acordo desse jeito. Acordo com vontade de limpar. Pura e simplesmente vontade de deixar tudo organizado.
Arrumei o quarto, arrumei as roupas, os livros, dvd’s, sapatos e mais uma infinidade de coisas que a gente guarda no nosso quarto. E HOJE, é a vez do meu computador.
Hoje é o dia de excluir o que não me serve mais, o que não cabe mais nas minhas coisas. Chegou a hora de excluir as coisas velhas e sem uso, ou, pra ser mais prática: as coisas novas desinteressantes.

Meu computador está lotado de músicas antigas, textos publicados e os “escritos” que nem em sonho posso mostrar. Está cheio de conversas guardadas, fotos saudosas, sentimentos estranhos, frases, textos e, através dele, estão as pessoas. É, ué! As pessoas.
Aquelas que você conheceu por acaso pela internet, aquelas que você já conhece há anos, seus amigos, o seu amor, conhecidos, inimigos e os desconhecidos.
Hoje chegou o dia de dar adeus à quem pouco se importa com a sua indiferença ou com o fato de você estar feliz. Hoje chegou o dia de dar “falow” para aquela criatura (ou aquelas) que você até teve afinidade e uma boa amizade, mas o tempo fez com que os caminhos fossem diferentes.
Ta na hora de deletar quem te incomoda. Ta na hora de excluir quem você gosta, mas não gosta mais de você. É, chegou a hora de apertar o velho botão do “foda-se” que muita gente já conhece.

Eu tenho a maior facilidade em excluir pessoas. É rápido e nada dolorido.
Incomodou? RODOU!
Simples como um arroz escorrido.

Não me dói ter mais razão que emoção nessas horas. E se você se pergunta: “por que não lutar por essas pessoas?”. É simples, minha gente: só se luta por quem quer viver dentro da gente, não por quem já morreu.
Pessoas são descartáveis a partir do momento que elas não se dão ao trabalho de merecer seu coração.

Tenho pena de quem vive nesse mundinho forçado de amizades. Que faz competição consigo pra ver se consegue UM MILHÃO DE AMIGOS. Que fala com todo mundo, que é amigo de todo mundo, que ama todo mundo, que tem 9999 contatos no msn, facebook e twitter. Não sou amiga dos números e desde a infância, nunca gostei de matemática.
Ser seleto, às vezes, traz mais recompensas. Traz, como o nome já diz, uma seleção dos SEUS melhores.

Pouca gente me interessa nessa vida, por pouca gente eu bateria boca, compraria uma briga ou pagaria o melhor almoço do mundo. Por pouca gente eu me deslocaria pelas estradas de uma BR. Mas, por mim, pelo o que acredito, pela minha paz, pela vontade de colocar um ponto final no que pode se transformar em “quase nada”, prefiro deixar de gostar desse povo que coloca o orgulho e a mania de “hoje eu te odeio” como um aviso no meio da testa. Nunca esteve tão lotado embaixo do meu tapete.

Não gosto de “boa vizinhança” com ninguém. Ou é por inteiro ou não é.
Conveniente, pra mim, é só um plano de saúde que você paga e recebe atendimento por isso. Amizade é procurar entender quem lhe é diferente. É deixar chegar perto. É não esperar nada em troca.

Deleto hoje, quem não vai me incomodar amanhã. Se tentar me incomodar, não vai fazer diferença, você não está mais aqui dentro do meu coração pra tentar feri-lo. Você está na zona ou no limbo.


Naiane Feitoza.

7 comentários:

Anônimo disse...

Nossa simplesmente perfeito!
Adorei seu texto e cabe certinho pelo que estou passando agora....
Adorei seu blog!

Alessandra Lameira disse...

Aeeeeeeeeeee. Post Novo. \o/
Dando um delete nas pessoas. Faz muito bem.

Marcelo Guido disse...

pode crêr
nada melhor que uma bela faxina
quantas vezes for necessário,te entendo já fiz muito isso.....
é bom
morrer não doi....Apagar menos ainda.

Anônimo disse...

Adorei o texto!
Também estou assim!
Vamos nos livrar do que nos faz mal, do que não nos acrescenta em nada, do que já passou... vamos abrir espaço para as coisas novas!
Gosto muito das suas publicações. Uma pena que demore tanto para atualizar. rs
Beijão :*

Anônimo disse...

Adorei o texto!
Também estou assim!
Vamos nos livrar do que nos faz mal, do que não nos acrescenta em nada, do que já passou... vamos abrir espaço para as coisas novas!
Gosto muito das suas publicações. Uma pena que demore tanto para atualizar. rs
Beijão :*

Anônimo disse...

Adorei o texto!
Também estou assim!
Vamos nos livrar do que nos faz mal, do que não nos acrescenta em nada, do que já passou... vamos abrir espaço para as coisas novas!
Gosto muito das suas publicações. Uma pena que demore tanto para atualizar. rs
Beijão :*

Junior Uchôa disse...

As pessoas deletadas no seu computador quase nunca percebem que foram excluídas, e isto prova que você nunca fez falta na vida elas. 'Limpar nosso computador' de vez em quando é essencial para reorganizarmos o que de fato é prioridade em nossa vida. Se você mandar as coisas certas para a Lixeira, você estará dando espaço para obter coisas novas em sua vida e conhecer o bem que faz viver em um mundo reciclável.